Palestras Superleite

Durante os 4 dias da Superleite os visitantes poderão adquirir, na tenda de palestras, vários conhecimentos sobre temas pertinentes ao meio rural.

Confira a Programação de Palestras:

Dia 12/07/2017 – (quarta-feira) – 14:00 horas
Palestra: “Transferência Intrafolicular de Ovócitos Imaturos (TIFOI): uma nova alternativa para a multiplicação de fêmeas bovinas” – Palestrante: Dr. Maurício Machaim Franco – Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Conheça um pouco sobre o tema da palestra – Atualmente, a FIV é a biotécnica mais usada no Brasil. O País é líder mundial na produção de embriões bovinos in vitro, com cerca de 60% da produção.
Embriões produzidos in vitro são aqueles obtidos fora do organismo materno, em condições laboratoriais. Nesse processo, os ovócitos (óvulos) são aspirados antes do tempo, ainda imaturos, e depois são maturados e fecundados em laboratório. Após sete dias, os embriões produzidos são transferidos para as vacas receptoras, ou mães de aluguel.
Uma das desvantagens dessa técnica é que os embriões produzidos em condições de laboratório possuem qualidade inferior à dos embriões produzidos no organismo materno e, portanto, são menos resistentes ao congelamento, sendo muitos deles incapazes de manter a gestação.
A maior vantagem da TIFOI é que todo o processo é feito dentro do próprio animal. Grosso modo, a vaca é o laboratório. Os óvulos são aspirados da mesma maneira que na FIV, mas ao invés de maturados em laboratório, são cultivados dentro do corpo da vaca ovuladora, aproveitando o seu processo reprodutivo natural. Os óvulos são, então, fecundados por inseminação artificial (IA). Sete dias depois, os embriões que se desenvolveram são coletados e transferidos para a vaca receptora (barriga de aluguel), semelhante ao que ocorre na transferência clássica de embriões.
Todo o processo se dá de forma natural, aproveitando os eventos fisiológicos da vaca ovuladora, o que imprime mais qualidade aos embriões. Além disso, por dispensar a necessidade de laboratório, diminui significativamente os custos finais de produção.
Dessa forma, a TIFOI mantém todas as vantagens da FIV, eliminando, ao mesmo. Dessa forma, a TIFOI mantém todas as vantagens da FIV, eliminando, ao mesmo tempo, as desvantagens deste processo.

Dia 13/07/2017 (quinta-feira) – 10:00 horas
Palestra “Controle Estratégico do Carrapato dos Bovinos” – Palestrante: Dr. Daniel Sobreira Rodrigues, da EPAMIG

Dia 14/07/2017 (sexta-feira) – 13:00 horas
Palestra “Controle Biológico de Pragas com ênfase em milho sorgo e pastagem” – Palestrante: Dr. Ivan Cruz da Embrapa Milho e Sorgo 

Conheça um pouco sobre o tema da palestra – No Brasil o tricograma é registrado para a soja, milho e tomate. O interessante é que o tricograma, “uso da vespinha” é registrado para praga e poderia ser usado em todos os outros cultivos. Mas porque é usado somente no milho, soja e tomate? Devido à descrição de referência, como usar, qual a quantidade de uso, porém poderia ser usado para qualquer outro cultivo se tivesse esta descrição de cuidado e uso.
Nas regiões trabalhadas com o tricograma é impressionante a verificação da volta de outros agentes de controle biológico. Em todas as áreas que você retira o produto químico você permite a volta de benéficos. O uso do tricograma significa que estamos fazendo liberação inundativa então ele funciona igual ao produto químico. Ele imediatamente abaixa a população da praga e permite que outros benéficos se componham. Hoje não adianta utilizar apenas uma tecnologia. Já temos tecnologias suficientes para ter equilíbrio, baixar custo de produção e proteção ambiental. O que precisamos é transferir o conhecimento. Por isso eventos em que a Embrapa é convidada são muito bons porque podemos mostrar as novas tecnologias ao produtor rural. Vale lembrar que a Embrapa não vende nada, ela somente transfere o conhecimento.
Ir à Superleite será um momento de discutir as novas tecnologias e o que está por trás do uso dos benéficos no cultivo. O produtor poderá adquirir um conhecimento de controle biológico de pragas. A ideia é retirar gradativamente o agroquímico e aumentar a biodiversidade. O problema do produtor é que ele não vê os defensivos naturais, então precisamos quebrar este paradigma.

Dia 15/07/2017 (sábado) 14:00 horas
Palestra “A influência do clima na Agricultura” – Palestrante: Dr. Daniel Pereira Guimarães da Embrapa Milho e Sorgo
Conheça um pouco sobre o tema da palestra – Para atender a demanda alimentar da humanidade, a produção agrícola mundial terá que dobrar nos próximos 30 anos. O crescimento sustentável do setor deverá se basear no uso eficiente dos recursos naturais, principalmente da água. É na agricultura onde se utiliza cerca de 70% da água derivada dos mananciais e as fortes estiagens dos últimos anos mostram a necessidade de gerenciamento dos recursos hídricos.
O clima exerce enorme influência no setor agropecuário, setor de fundamental importância para o desenvolvimento nacional. O sucesso da atividade agropecuária estará cada vez mais atrelado à capacidade do produtor de utilizar os recursos tecnológicos que vem sendo incorporados no setor. Atualmente, o Zoneamento Agrícola é a ferramenta que indica os riscos associados à atividade e chave de acesso ao crédito e seguro agrícola. Os modelos de previsão do tempo e clima permitem tomadas de decisão no agronegócio. Informações obtidas de satélites e disponibilizadas gratuitamente são ferramentas essenciais na gestão da propriedade rural.
A apresentação do pesquisador da Embrapa mostrará os avanços atuais na área de climatologia agrícola e como os produtores rurais poderão se beneficiar, sem custos adicionais, de ferramentas para a tomada de decisão e gerenciamento de suas atividades no campo.

Deixe uma resposta